Poltronas e cadeiras – que nunca saem de moda

Hoje vamos mostrar para vocês aquelas poltronas e cadeiras que nunca saem de moda.

Em qualquer ramo do design isso acontece. Não tem aquelas roupas atemporais, que qualquer mulher que se preze precisa ter no armário, como um pretinho básico?

Pois é, no mundo do mobiliário você não precisa ter o móvel, mas se tiver, ele nunca vai sair de “moda”, também.

Primeiro vamos ver algumas poltronas e cadeiras criadas por grandes designers Brasileiros e depois outras produzidas por ícones do design mundial.

Poltronas e cadeiras com a assinatura de “Mestres do Mobiliário Brasileiro”
Zanini de Zanine

Crédito de Imagem: Marché Art de Vie

Zanine nasceu no Rio de Janeiro em 1978. Formado em Desenho Industrial pela PUC-Rio. Começou sua trajetória produzindo móveis a partir de madeira de demolição.  Hoje sua carreira é reconhecida nacional e  internacionalmente.

A partir de 2005 começou a produzir industrialmente suas criações e novos materiais foram incorporados ao seu design. Em 2011, Zanini criou o seu próprio estúdio que representa sua marca.

Oscar Niemeyer

Chaise-longue Rio e o banco Marquesa

Carioca de nascimento e cidadão do mundo pelo incrível trabalho, inconfundível,  desenvolvido no mundo da arquitetura.

Formou-se em arquitetura pela Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro, em 1934.

Em 1940 teve início a construção do imenso patrimônio arquitetônico deixado por esse brasileiro que viveu a frente do seu tempo e  nos deixou um legado incomensurável.

Se você pensa que esse gênio só trilhou um caminho, está totalmente engando. Niemeyer também foi um designer de móveis de mão cheia. Algumas de suas criações se tornaram ícones do mobiliário, como a chaise-longue Rio e o banco Marquesa.

Aida Boal

Cadeira João Carlos

Uma grande arquiteta que não recebeu o devido valor. Nascida no Rio de Janeiro, se formou em arquitetura pela Faculdade Nacional de Arquitetura do Rio de janeiro, deixou uma bela obra.

Cadeiras e mesas de madeira, com linhas retas, unem conforto e beleza de uma forma harmônica e funcional.

Amiga e carinhosa, costumava dar o nome de amigos e parentes às suas criações.

Carlos Motta

Poltrona Giratória Radar

Carlos Motta é arquiteto e possui o seu Atelier no bairro da Vila Madalena, na zona oeste da capital paulista. Nesse local funciona o escritório de arquitetura, o espaço de criação e desenvolvimento de produtos, além de uma marcenaria de primeira.

Com o lema “a procura do óbvio, do simples, do respeitoso e do longevo” a empresa é totalmente engajada com a sustentabilidade e com o reaproveitamento de materiais.

Irmãos Campana

Cadeira Favela

Essa é uma dupla de irmãos muito interessante. Além de designers de mobiliário, eles são críticos atentos do cotidiano. Conseguem, com a irreverência da criança e a beleza da arte, transformar produtos sem nenhum apelo estético em verdadeiras esculturas, que chamam a atenção pelas suas formas inusitadas aliadas à sua função.

Sergio Rodrigues

Poltrona Mole

Esse dispensa maiores comentários. Sergio Rodrigues é um dos maiores designers de móveis do nosso país. Nascido no Rio de Janeiro e formado em arquitetura pela Faculdade Nacional de Arquitetura da Universidade do Brasil, construiu sua brilhante carreira utilizando-se principalmente de materiais recicláveis retirados da natureza, como a madeira e as fibras naturais.
Pai de um dos maiores ícones do mobiliário brasileiro, a Poltrona Mole é a tradução maior do fantástico trabalho realizado por esse monstro do design brasileiro.

Poltronas e cadeiras criadas por ícones do mobiliário mundial

 

Poltrona Le Corbusier /  Chaise LC4 – Le Corbusier

Poltrona Barcelona – Mies Van der Rohe 

Poltrona trevo / Poltrona Gondola – Pierre Paulin

Cadeira Mademoiselle  /  Cadeira Ghost – Philippe Starck Poltrona Swan – Arne Jacobsen‎

Cadeira Bertoia – Harry Bertoia
Poltrona Egg – Arne Jacobsen

Cadeira Wassily – Marcel Breuer Wood lounge chair – Casal Ray e Charles Eames

DWSR / DWSX / DWSW – Charles e Ray Eames (As mais populares aqui no Brasil)

Cadeira Thonet – Michel Thonet

O mais interessante é que não há necessidade de ser um entendido em design para reconhecer várias das cadeiras aqui mostradas. Talvez você nem soubesse que elas são ícones do mobiliário e que peças desse mundo mágico estão ali ao seu alcance e por preços bem de acordo com o seu bolso.

Só toma cuidado com o acabamento. Às vezes vale pagar uns tostões a mais e adquirir um produto caprichado,  mais bem feito e com uma qualidade superior. Isso fará muita (toda) diferença na decoração da sua casa.

Créditos de imagens: kingflex, Knoll,  Paris7, ecadeiras, stolstu,  Arkpad,  Elegancy Design,  solinemoveis, personalartdesign,  dominidesign, nikkiikkin, ambientedirect,  Inusual, site oficial Oscar Niemeyer,  site oficial Casal Eames

Abajur – Dicas para iluminar e decorar o ambiente

O primeiro abajur foi criado no século XVI, na cidade de Paris. No princípio o seu combustível foi o petróleo. Após a luz elétrica ele passou a ser utilizado como mais uma fonte de luz nas casas dos abastados. Os super conceituados e  elegantes abajures Tiffany começaram a ser fabricados em 1895.

A princípio os abajures só serviam para iluminar o ambiente. Hoje são ítens superimportantes no layout de um projeto de decoração e de luminotécnica.

Por sua versatilidade podem ser usado em vários ambientes com funções diversas. Tudo vai depender da lâmpada escolhida, da altura do pé (coluna) do abajur ou da forma, área e altura da cúpula.

Para qualquer estilo de decoração você encontra a peça ideal.

Podem ser encontrados nos mais diversos estilos, materiais, tamanhos e cores.

Algumas dicas superimportantes para você saber antes de comprar o seu abajur:

Se o objetivo for usa-lo para ler, procure um em que a luz não incida nos olhos e que só ilumine abaixo da região do queixo.

Os abajures apoiados em mesas laterais ou em aparadores são os ideais para as salas de estar e halls de entrada pois os raios luminosos não incidem diretamente nos olhos, ofuscando-os.

O local ideal para se colocar um abajur é próximo a uma tomada, ninguém merece um fio esticado aparecendo. Se você escolher um local afastado da parede para posicionar o seu abajur, uma boa estratégia é instalar uma tomada no chão.

Dicas de decoração para valorizar o ambiente com o abajur

O tamanho do abajur tem que ser proporcional ao local onde será apoiado. Uma dica rápida é: nunca um abajur pode ocupar uma área superior a 60% do apoio escolhido.

Utilize lâmpadas com luz amarela nas áreas sociais e íntimas e luz branca nas áreas de leitura.

Se o local escolhido precisar de uma iluminação mais intensa, escolha um com a cúpula branca ou em um dos tons nude.

Quando você usar mais de um abajur em um mesmo cômodo, necessariamente eles não precisam ser iguais. Você pode ousar escolhendo modelos diferentes. Isso dá estilo e causa interesse ao ambiente.

Nos quartos de casal quando um gosta de ler antes de dormir e o outro não, uma boa medida é usar em uma das laterais da cama um abajur ou um pendente com luz amarela, só para ser usada como luz auxiliar e na outra lateral um foco com luz branca, obedecendo as regrinhas de iluminação para leitura.

Fizemos uma seleção de imagens com lindas decorações onde os abajures são destaque para você se inspirar.

Quer mais ideias? Entra na nossa pasta “Abajur na decoração” no Pinterest.

Créditos de imagens:  JC-Uberaba, Reforma Fácil, Decoração I,  christinahamoui,  photos.hgtv,  Juliane Cardoso,  ntzchs,  Décorer, Street Market, decorarst, Cecilia Dale, Casar é ..., dezigngenie, Minha Casa Minha Cara,  jewelcaddy,  bgliving, Casa Pensada,  aliexpress, Carro de Mola,  froghilldesigns, Decorator,  Dr Engenharia, Projetos Habitissimo, vivadecora, Moldura Minuto,  Grandes Idéias Para Casa